Quem Somos

Caribessa!

Prepare-se! Você vai ler a incrível história de como um caiaque descartado virou a operadora Caribessa e agregou uma nova opção de turismo a João Pessoa, contribuindo para a economia local e a valorização da ideia de preservação ambiental.

Um conhecido da família de David Montenegro, proprietário da Caribessa, estava passando uma temporada na capital paraibana, hospedado na casa da avó dele, à beira-mar da praia do Bessa. Um dia, ao descer de um ônibus na parada próxima ao Iate Clube da Paraíba, teve a atenção voltada a um caiaque no lixo de uma residência.
Prontamente, ele pegou o objeto e, ao chegar de volta na casa da avó de David, saiu para a praia, a fim de testá-lo no mar. E não foi muito bem o que imaginava… O caiaque não estava em boas condições de uso e, pelo tamanho, não era adequado ao peso dele. Então, sabendo do verdadeiro amor de David por esportes aquáticos, presenteou o amigo. “Fiquei muito feliz! Fiz alguns reparos nele e comecei a remar quase todos os dias. Depois, algumas pessoas perguntaram se eu tinha caiaques para alugar. Eu dizia que não, mas que podiam dar uma volta no meu”, ele lembra.

O caiaque atraiu tantas pessoas na praia que David Montenegro resolveu colocá-lo para alugar, junto a outro de um amigo que havia deixado com ele. Era Verão de 2006 e o negócio ganhou o nome “Escritório Praia Caribessa”, numa referência à canção da banda brasileira Charlie Brown Jr. “Sempre fui de ficar boa parte do meu dia na praia. Se não fosse mergulhando, era surfando, remando, catando lixo na areia… Por isso, meus amigos falavam que meu escritório era na praia, que eu era ‘rato de praia’, e veio a ideia do nome lembrando a música ‘Zóio de Lula'”, contou ele.

O conhecido e reconhecido nome da operadora “Caribessa”, que acabou tornando-se a denominação para aquela área litorânea do Bessa, surgiu fazendo referência ao mar do Caribe, que, em certas épocas do ano, lembra as águas cristalinas daquela praia. “O mar daqui fica semelhante ao do Caribe, lembrando a visibilidade e a transparência da água. Em um dia em que tivemos água cristalina, fiz uma brincadeira com meus amigos, disse: ‘olhem como o mar está lindo! Está Caribe! Não, está Bessaribe! Não, está Caribessa!!!”, David Montenegro lembra com alegria como surgiu a denominação para a área e para a empresa.
O que começou com alugueis de equipamentos aquáticos apenas nos fins de semana e feriados, ganhou repercussão graças à indicação das pessoas que gostavam da experiência e também a uma página na extinta rede social Orkut, criada pelo proprietário.

Em 2011, a empresa foi oficialmente aberta, com licenças ambientais, na Prefeitura Municipal de João Pessoa. E a equipe foi capacitada com cursos de emergências aquáticas e atendimento ao cliente.

Hoje, em 2017, a Caribessa já é equipamento turístico indispensável para moradores da própria cidade, outros paraibanos e turistas, funcionando com missões e valores que a destaca no mercado. O serviço diferenciado inclui, além de funcionários capacitados, equipamentos (caiaques e pranchas de stand up paddle) de qualidade, jet-ski para resgate no mar, fiscalização e contribuição para pesquisas científicas e estudos na área. “Fazemos um trabalho de preservação e educação ambiental, levamos os clientes para conhecerem, na prática, a biodiversidade local e, em parceria com alguns órgãos fiscalizadores, observamos a rica bancada de coral do Caribessa, onde estão presentes várias espécies marinhas. E ainda fazemos passeios em outras praias e rios da região, divulgando as belezas e histórias dessa terra maravilhosa que é a Paraíba”, finalizou David Montenegro.

 

Marianna Vieira
Jornalista (DRT 3408 PB)

Compartilhe:
Compartilhe: